Cirurgia Vaginal

 

Histerectomia Vaginal

É a remoção do útero através da vagina, sem necessidade de incisão no abdome, resultando num pós-operatório menos desconfortável, com menor risco de complicações, tempo de internação de 24 horas, e retorno mais rápido às atividades normais. Um cirurgião experiente é capaz de realizar 90% das histerectomias por via vaginal, beneficiando muito suas pacientes.

 

Sling Transobturatório

Consiste na colocação de uma tela sintética sob a uretra, com o objetivo de impedir a perda involuntária de urina aos esforços (tosse, espirro, pegar peso etc.). A cirurgia é realizada por via vaginal, sob anestesia raque e com duração de aproximadamente 30 minutos. A alta hospitalar é dada no dia seguinte, sem a necessidade de ir para casa com sonda na bexiga.

 

Correção de Prolapso Genital

Atualmente existem várias técnicas modernas para tratamento do prolapso, ou descida dos órgãos pélvicos (p.ex.: bexiga, útero, intestino, ruptura perineal), com baixo risco de complicações e que minimizam a chance de recidiva. Em mulheres mais idosas e sem vida sexual ativa pode-se realizar uma colpocleise, uma cirurgia menos invasiva que consiste na obliteração do canal vaginal.

 

Histeroscopia

Consiste na introdução de uma microcâmera no interior da cavidade uterina, visando o diagnóstico e tratamento de diversas patologias como pólipos, miomas, hiperplasias, malformações etc. Trata-se de um procedimento minimamente invasivo, sem necessidade de internação e que, por não haver nenhum corte ou sutura, possibilita o retorno às atividades normais já no dia seguinte.

©Cirurgia Vaginal

Desenvolvimento: Ademinho